Scaramouche ou Scaramuccia é um personagem da comédia dell’arte (gênero teatral que nascido na Itália no século XVI). O Scaramouche é conhecido por ser um pilantra, um mentiroso bufão, contador de farsas e covarde. Essas características, que obviamente, parecem ofensivas e degradantes à primeira vista, na verdade são humanas. Os servos, os pobres e pairas, por não possuírem força ou poder, tomavam seu espaço a partir da mentira e sua chamada covardia vinha justamente do conhecimento dos castigos: só não teme quem não conhece a pena.

El Grand Scaramouche traz para cena os últimos descendentes da família Scaramouche que viajam com o circo homônimo em condições que lembram muito a etimologia ancestral de seu nome, contudo, quando eles estão diante de mais uma apresentação passam a enfrentar o seu maior desafio: os artistas foram embora e só resta eles para realizar todos os números. Este estabelecida a tragédia do palhaço, gatilho e motor do desenrolar de gags e intermezzos, acrobacias, malabares e números de mágica e ilusionismo, que na tentativa da hipérbole resultam no fracasso, para tristeza dos apresentadores e alegria do público que se diverte.

Este espetáculo de circo contemporâneo, não se resume em divertir, o espetáculo é uma história híbrida, mas mais que isso fala do amor pelo picadeiro, pelas dificuldades e felicidades, pelo lúdico e pelo encantamento, pela magia, que só presencia que é capaz de vivenciar o efêmero e viajar para pequenas e pueris poesias dessa lona encantadora.